was successfully added to your cart.

Carrinho

Categoria

Nós fomos!

Nós fomos! Halloween Camp

Por | Nós fomos!

No último final de semana, dias 22 e 23, fomos até a cidade de Charqueada conhecer o Ecologic Park e o Halloween Camp. Chegamos ao local por volta das 16 horas e fomos recepcionados pelo Bruno Rivaben, diretor do Ecologic Park. Depois de mais de 3 horas de viagem, era hora de descarregar as malas e conhecer o local.

O clima ajudou e muito o nosso passeio. Muito sol e nada de chuva! Durante a caminhada, podemos já avistar algumas atrações do Halloween Camp. A Usina Nuclear é a maior atração do evento e possui uma fachada de dar inveja a muitos eventos de terror.

Usina Nuclear no Halloween Camp

O evento tem início às 19 horas com um jantar especial. Nos dirigimos até o chalé e nos preparamos para o início do Halloween Camp (com um pouco de medinho também rs). A entrada do restaurante é toda tematizada como um Saloon. Adoramos ver tematizações tão bem feitas!

Restaurante Saloon

Existe um pré-show antes do jantar. Com entrada para até 4 pessoas por vez, os hóspedes passam por uma triagem e depois seguem para o restaurante. Como o tema desta edição é a Invasão Zumbi, toda a equipe verifica se alguém está contaminado. É a primeira imersão ao evento, além de não causar grandes filas no restaurante.

Pré show

Início do Halloween CampPré-show no Halloween CampFoto de divulgação do Halloween Camp

Halloween Camp: A Invasão Zumbi

Após o jantar, todos são surpreendidos por soldados que exigem imediatamente a evacuação do local. A Invasão Zumbi começou! Fomos levados para um auditório, onde foi exibido o filme conceito do evento.

“Uma grande epidemia incontrolável está no Ecologic Park, transformando o cérebro humano. Ainda não se sabe a origem da transformação. Cabe aos participantes descobrirem se foi originada de uma usina nuclear abandonada, de uma explosão em um laboratório experimental ou de rituais Voodoos de uma tribo canibal. A existência da raça humana depende exclusivamente de você!”

Interior da Usina Nuclear no Halloween Camp

Os três soldados dividem os grupos e são responsáveis por todo o acompanhamento pelo acampamento. É nítido o desespero dos jovens e de até alguns adultos. A primeira atração que visitamos foi o Laboratório. Totalmente afastado do nosso ponto inicial, o uso de lanternas torna-se essencial para continuar no caminho.

Laboratório

Ao entrar no túnel, é possível observar os cientistas executando diversos procedimentos e testes, como se não houvesse ninguém por ali. Ao chegar na última sala, uma mulher possuída enfrenta todo o grupo e propõe um desafio. Caso o grupo consiga resolver, estamos liberados para o próximo núcleo.

Túnel Laboratório no Halloween Camp

Após a solução do desafio, o grupo possui pouquíssimo tempo para escapar do local. Todos os cientistas ficam furiosos e partem para cima da galera. É hora de correr!

Cientistas no Halloween Camp

Cemitério

Ao longo do percurso pelo acampamento, é impossível não achar que algo irá surgir no meio da escuridão e causar um grande susto em todos. O próximo núcleo que visitamos foi o Cemitério, totalmente ao ar livre.

Núcleo Cemitério no Halloween Camp

A trilha sonora presente era de arrepiar! E o mais legal é que todos pensavam que alguém apareceria por trás de algum túmulo, mas não. Em nossa saída, fomos surpreendidos por alguma movimentação dentro da floresta. Assim que as lanternas iluminaram o ambiente, um zumbi estava rondando por ali…

Floresta no Ecologic Park

Momentos de tensão!

Já visitamos diversas atrações de terror, mas nada se compara à uma atração no meio da floresta, sem iluminação nenhuma e apenas o som ambiente. Qualquer movimentação era suspeita e o medo era evidente. Corríamos algumas vezes sem acontecer absolutamente nada.

Nessa hora que nos lembramos de trazer um tênis velho de casa. Uma parte do caminho é totalmente lama – meu tênis está lavando até hoje. Logo após, entramos numa caverna estreita, baixa e com muitos, mas muitos corredores. Nem um pouco recomendado para quem possui claustrofobia.

Após os corredores, voltamos para a área externa com um grande portão. Ao ser aberto: SURPRESA! Mais zumbis e mais corredores.

Zumbi no Ecologic Park

Parecia que estávamos correndo em círculos e com diversas saídas falsas, além dos zumbis presentes. Ao chegarmos na parte final, o chefe das criaturas estava nos aguardando. Totalmente irônico e perverso em suas palavras.

Confronto no Halloween Camp

Após a saída, passamos por volta do lago do Ecologic Park. Repare como o ambiente fica sinistro durante a noite!

Lago no Ecologic Park

Usina Nuclear

Era hora de ir conferir o último núcleo, a Usina Nuclear! Esta atração requer o uso de óculos 3D, pois há alguns efeitos de iluminação e pinturas que criam a tridimensionalidade, além de entrar somente de meia, sem os calçados.

Usina Nuclear no Halloween Camp

E a pior parte: a entrada só é permitida de dois em dois, ou seja, o clima fica ainda mais tenso. Diversos elementos cenográficos ajudam no susto, seja um latão ou correntes. Na sala final, um dos infectados está preso. O jeito é correr antes que ele se solte!

Interior da Usina NuclearGás tóxico na Usina Nuclear

Nos dirigimos de volta para o auditório, onde todos os grupos se encontraram. Para que a infecção acabasse, cada soldado deveria trazer uma boneca para o local. Mas… a história ainda não acabou. Após o encerramento, os hóspedes se preparam para uma grande festa a fantasia.

O grupo de DJs presente na noite era sensacional! O show contava com efeitos pirotécnicos, visuais, além de instrumentos musicais tocados ao vivo em ritmo com as músicas.

Informações gerais

Toda a programação no final de semana foi realizada em inglês. Caso você não tenha habilidade na língua, pode ir durante a semana, onde a programação é toda em português. Mas garantimos, dá para acompanhar o jogo em inglês tranquilamente!

Bruno Rivaben, diretor do Ecologic Park, nos contou que o evento está em sua quinta edição e a procura pelo mesmo só vem aumentando. O Halloween Camp não é aberto ao público geral, mas você pode solicitar o passeio através de sua escola

O saldo do evento é mais que positivo! Nós adoramos todo o enredo e o modo de como o evento é feito. O Ecologic Park dispõe de um ambiente propício para a realização do mesmo e a atuação da equipe é de assustar até os mais adultos.

Acesse o site do Ecologic Park e conheça o local e outros projetos.

Nosso muito obrigado ao Bruno e toda equipe do Ecologic Park! Foi animal!

Roda-Gigante Brasil

Nós fomos! Roda-Gigante Brasil

Por | Nós fomos!

A Roda-Gigante Brasil é uma das maiores do país! Presente em grandes eventos como Lollapalooza, agora ela está disponível no São Bernardo Plaza Shopping e fomos conhecê-la na última sexta-feira, dia 14.

Roda-Gigante Brasil

Roda-Gigante Brasil no São Bernardo Plaza Shopping

Com 30 metros de altura, 4 motores e capacidade simultânea para até 120 pessoas, a atração possui a iluminação toda em LED, o que garante boas fotos e momentos de magia.

Iluminação da Roda-Gigante Brasil

Chegamos ao local por volta das 18h30 e fomos recebidos pelo Claudinei e pela Suelen. Optamos por conhecer a atração primeiro, visto que a previsão era de forte chuva durante toda a noite.

A visão que se tem no topo é incrível! Com a correria da rotina, mal paramos para perceber como temos coisas bonitas em nossas cidades. Era hora de relaxar e curtir!

Interior da Roda-Gigante Brasil

Aqui começa o friozinho na barriga…

Estacionamento do São Bernardo Plaza Shopping

U-A-U!

Logo após a visita, conversamos com o senhor Claudinei sobre as curiosidades e funcionamento da Roda-Gigante Brasil. Ela foi fabricado pela Technical Park, conta com três entradas para agilizar a operação e o mais interessante de tudo é que ela possui uma cabine especialmente adaptada para cadeirantes.

Roda-Gigante Brasil vista de fora

Com pouco mais de 1 ano em operação, a atração já passou por Piracicaba, Mogi das Cruzes, Uberlândia, entre outras cidades. Além da Roda-Gigante, o espaço conta com um Mini Chapéu Mexicano, um Trenzinho e uma Xícara Maluca.

Mini Xícara MalucaMini Chapéu Mexicano

A atração permanece no espaço até o feriado de 15 de novembro. O funcionamento é de segunda a sábado, das 10h30 às 22h30; Domingos e feriados das 12h às 20h.

O valor do ingresso para a Roda-Gigante Brasil tem o valor de R$10. As demais atrações custam R$5.

O São Bernardo Plaza Shopping está localizado na Avenida Rotary, número 624, no centro de São Bernardo do Campo – São Paulo.

Parque

Nossos agradecimentos ao Paulo, Claudinei e Suelen pela visita!

Curta Guia da Diversão no Facebook

Nós fomos! Aldeia das Águas

Por | Aldeia das Águas, Nós fomos!

No último domingo (09/10), estivemos no Aldeia das Águas Park Resort, em Barra do Piraí – Rio de Janeiro, para conhecer o parque e suas últimas novidades.

Aldeia das Águas

Chegamos no complexo por volta das 9h e fomos recebidos pela equipe de recreação que passaram as informações de acesso e em seguida acessamos o parque.

Estacionamento do Aldeia das Águas

A entrada

As filas nas catracas e revista de bolsas estavam bem rápidas. Logo nos deparamos com uma funcionária caracterizada de Branca de Neve animando a galera, dando um clima bem alto astral. Seguimos então para o restaurante onde foi servido o café da manhã e já nos preparamos pra curtir o dia no parque.Entrada do Aldeia das Águas

Bilheteria do Aldeia das Águas

Mapa do Aldeia das Águas
Quiosque da Chilli Beans

Skylink

A diversão começou pela última novidade do Aldeia: o Skylink! Uma tirolesa com 300m de extensão e que pode chegar a uma velocidade de 60 km/h. Por ser novidade, a fila era um pouco grande. Ficamos cerca de 40 minutos aguardando, mas que valeram a pena!

Skylink

A atração liga a área próxima à entrada até a área do Kilimanjaro. Apesar de ser uma atração simples, é mais emocionante do que aparenta e com certeza resulta em fotos incríveis! Apenas fique atento antes de entrar na fila: para embarcar na atração o visitante deve ter mais de 1,20m de altura, e entre 50 e 130kg. A atração não é cobrada a parte.

Piscinas e Kilimanjaro

Side Winder

Depois do Skylink, era hora de aumentar ainda mais a emoção e ir no Side Winder. A atração consiste em uma pista com mais de 10 metros em formato de half pipe e boias com 2 lugares que mergulham em uma descida inclinada e ficam subindo e descendo até parar. O frio na barriga é inevitável e dá vontade de ficar repetindo o dia todo! (Ah se tivesse mais tempo…)

Side Winder

Side Winder no Aldeia das Águas

Queda no Side Winder

A rampa Yuppie foi nossa escolha como próxima atração. É uma rampa com baixa inclinação onde os visitantes descem em boias individuais até caírem na piscina. Não tinha fila quando chegamos, então era só pegar a boia e curtir a descida! Fica uma recomendação: se a funcionária perguntar se quer descer girando, diga não!

Rio Corrente e Snakeland

Saindo do Yuppie ainda tínhamos uma hora até o almoço. Então demos uma volta no Rio Corrente e subimos para os toboáguas Snakeland. São 3 toboáguas com tamanhos e trajetos diferentes, então é claro, fomos nos 3! É difícil decidir qual foi melhor, ambos causam sensações bem diferentes.. Ah, e não julgue pelo tamanho; se você for deitado e dar um impulso, o passeio se torna bem emocionante!

Rio Corrente

Snakeland

Almoço

Antes de ir almoçar, passamos por algumas piscinas, mas não todas, infelizmente, até porque são 17! O almoço foi liberado sem nenhum custo pelo Aldeia das Águas e tem bastante opção, hein?! À medida de curiosidade ficam os valores: Self Service R$4,53/100g – à vontade R$31,00 adultos e R$15,50 crianças de 7 à 12 anos. (Crianças abaixo de 7 anos almoçando com os pais não pagam).

Para quem não quiser almoçar, o parque tem diversos quiosques de alimentação, bares molhados, carrinhos de alimentos e até uma lanchonete Subway.

Subway no Aldeia das Águas

Mundo Fini e Aldeia Shop

Após o almoço, demos uma volta pelo parque, conhecemos a loja Mundo Fini (e como ela é linda!), a Aldeia Shop, onde são vendidas boias, roupas de banho e lembranças da turma da Mônica. Passamos por algumas piscinas e resolvemos parar de enrolar e ir para o maior desafio do dia, um desafio de quase cinquenta metros: o Kilimanjaro!

Loja Fini

Mundo Fini no Aldeia das Águas

Interior da loja Fini no Aldeia das Águas

Produtos na Aldeia Shop

Interior da Aldeia Shop

Produtos para a piscina

Calçados na Aldeia Shop

Crocs na Aldeia Shop

Kilimanjaro

Enquanto subíamos a trilha em direção à torre e ouvíamos o barulho do pessoal descendo (gritos e fortes jatos d’água) o nervosismo ia aumentando. Quando começamos a subir, era escada que não acabava mais.

Quando achar que já está alto demais pra você, relaxe e olhe pra cima. Com certeza não vai estar nem na metade! Continuamos subindo, e vai batendo aquela sensação de: isso não é possível, é alto demais! Quase chegando no topo, inicia-se a vertigem, aquela tontura e a sensação que vai cair lá de cima. Ao chegar no topo, tudo soma-se com uma ventania muito forte!

Kilimanjaro no Aldeia das Águas

O mais interessante, é que por ficar em cima de um morro, NADA em volta é mais alto que a atração, o que causa um desconforto muito maior. Não dá pra acreditar que as pessoas escorregam daquela altura. E lá ficamos, alguns minutos, refletindo na vida, se tudo valeu a pena até aquele dia, etc. A fila de desistência era a mais engraçada, várias pessoas no topo falando “pode ir na frente”. A quantidade de pessoas que desistem é impressionante!

Não queríamos entrar pra esse ranking, então simplesmente era hora de tomar fôlego e ir, sem pensar em mais nada. Quando você entra no túnel antes da queda, milhões de palavras de arrependimento passam pela mente. Agora não tem mais jeito, a corrente de água é muito forte. Uma vez que você senta ali, vai enfrentar uma queda livre gigantesca em poucos segundos. Quando a descida começa, seu corpo se contrai, a sensação de aceleração é contínua e a impressão é de estar em uma grande torre de queda livre, mas caindo sem poder se segurar em nada, e sem nada segurando você!

Quando chega lá embaixo, o jato d’água é forte e intenso. Seu corpo é praticamente jogado pra todos os lados até cair na piscina. Após isso vem um grande alívio, seguido de um único pensamento: QUERO MAIS! É claro que para alguns isso muda para um “nunca mais”, mas somos amantes da adrenalina, não?! Então o jeito era enfrentar toda aquela escadaria e repetir toda a experiência.

Vista do Aldeia das Águas

Encerrando o dia…

Depois de duas vezes no mais alto toboágua bodyslide do mundo, reconhecido pelo Guinness Book, estava quase na hora de encerrar o dia. Mas antes que isso acontecesse, valia dar mais uma volta no Side Winder. Merecíamos um frio na barriga não tão monstruoso pra nos despedimos do Aldeia das Águas.

Antes de ir embora, fomos convidados à conhecer o Aldeia das Águas Convention, um completo centro de convenções com salas de todos os tamanhos, para atender todo tipo de empresas e eventos. Lá conhecemos a equipe comercial do parque e alguns projetos futuros, que contaremos abaixo!

Aldeia das Águas Convention

Palestra no Aldeia das Águas Convention

Interior do Convention

Maquete do Aldeia das Águas

Próximas novidades:

O Aldeia está preparando mais novidades para o verão de 2017. Recentemente, o parque já tem investido em algumas instalações, como novos banheiros, sorveteria e atrações. Já está próxima a chegada da segunda parte do Skylink; a tirolesa que cruza o parque todo da área próxima à entrada até a área próxima ao Kilimanjaro, agora terá o sentido inverso, do Kilimanjaro até a área próxima à entrada. Serão duas tirolesas que farão o transporte do público para ambas as direções.

Nova skylink

Além da segunda fase do Skylink, o parque planeja também a instalação do Surf Hill. São oito pistas paralelas onde os visitantes descerão de bruços em tapetes individuais.

Surf Hill

As novidades não param por aí! Já está em construção uma nova praça de alimentação com completa instalação próxima ao Side Winder.

Nova praça de alimentação no Aldeia das Águas

Construção da nova praça de alimentação no Aldeia das Águas

Além disso, no próximo mês deve ser inaugurado o novo hotel. Também está em construção o terceiro, o maior entre os três com seus nove andares!

Pontos positivos:

  • Atendimento: Funcionários muito animados e bem humorados, animadores na entrada, na saída do parque e na piscina de ondas agitando o pessoal;
  • Ambiente: Muitas árvores pelo parque o tornam bem confortável e cheio de sombras, isso em um parque aquático além do conforto colabora para um ótimo visual;
  • Número de piscinas: Parques aquáticos costumam não ter muitas piscinas para uso geral. Já no Aldeia são muitas, isso acaba distribuindo o público para várias áreas do parque e quase todas elas com banheiros próximos;
  • Cartão de consumo: Andar com dinheiro ou cartão de débito/crédito em parque aquático é complicado, pois você precisa andar com carteira, o que faz ter que ir e voltar do guarda-volumes diversas vezes. O Aldeia descomplicou isso, implantando o cartão de consumo, onde sem NENHUM custo adicional, você faz o seu cartão e deposita o quanto quiser gastar pelo dia, podendo recarregar caso necessite. Ao final do dia o restante no cartão é devolvido (exceto caso a recarga tenha sido feita por cartão).

Piscinas no Aldeia das Águas

Pontos a melhorar:

  • Organização: No horário de abertura do parque claramente não dão conta do pico de público que existe. As filas em quase todas as centrais de crédito ficam imensas, e as filas preferenciais não são respeitadas. Claro que nesse caso é mais culpa dos visitantes, porém poderiam ser orientados sobre a fila preferencial, além das placas.

Os guichês das centrais de consumo possuem filas individuais. Presenciei o caso de um guichê fechar do nada e os visitantes que já estavam na fila um bom tempo terem que ir para o fim da fila de outro guichê. Cena bem triste. Isso se resolveria com uma fila única e organizada por cordões/grades, além de guichês chamando quando disponíveis, como acontece em caixas de bancos e diversos tipos de balcões de atendimento. E é claro, abrir todos os guichês pelo menos em horários de pico (na abertura e fechamento do parque);

  • Falta de bebedouros: Num dia quente, em um parque que você anda o tempo todo, subindo e descendo escadas, é necessário muita água pra dar disposição. Não há bebedouros pelo parque, o que força os visitantes à compra. O valor não é abusivo, porém durante o dia tive que comprar 4 garrafinhas. Imagino uma pessoa que vá com a família em um número maior de pessoas, quantas garrafinhas precisam comprar? Sempre vejo bebedouros em parques como algo essencial e indispensável. Porém, infelizmente, alguns parques não adotam essa medida e colocam à venda. Um ponto a menos;
  • Revezamento de funcionários: Algumas atrações faziam revezamento de funcionários em alguns momentos do dia e operavam com capacidade reduzida. A primeira vez que fomos no Side Winder, ele estava operando com apenas uma boia! A fila praticamente não andava, mas por sorte, depois de um tempo outro funcionário chegou e normalizou;Central de Crédito no Aldeia das Águas

Nossa opinião:

O Aldeia das Águas tem grande potencial de se tornar um dos melhores do país. O que vimos nesse dia quando chegamos, no entanto, foi um certo despreparo com a quantidade de pessoas chegando ao mesmo tempo no parque.

Além das filas e desorganização como citado anteriormente, durante o dia presenciamos atrações parando ou operando com baixa capacidade por conta do revezamento de funcionários em horário de almoço, parte em que grande parte do público acabou de chegar e está em peso querendo curtir as atrações, e de certa forma causou um certo transtorno.

Como citado também, medidas simples podem resolver estes problemas e acreditamos com muita confiança que em breve conseguirão corrigir esses erros e prestar um atendimento mais ágil e preparado para o grande público que recebem. Mas fora estes problemas, vimos um parque em crescimento, buscando a evolução, investindo em sua estrutura, em novas atrações anualmente e na rede hoteleira.

Isso é MUITO importante e positivo, vista a escassez de parques em crescimento que temos no Brasil. Nos divertimos, curtimos e sentimos fortes emoções. Com total certeza voltaremos em breve para conhecer ainda mais novidades deste incrível complexo!

Agradecemos imensamente ao Aldeia das Águas e sua equipe comercial que nos receberam com total atenção e à JRA Viagens e Turismo pelo convite à esta experiência!

Confira o vídeo de nossa visita:

Nós fomos! Noites Macabras

Por | Nós fomos!, Wet'n Wild

No último domingo, voltamos ao Wet´n Wild para conferir a segunda edição das Noites Macabras. A expectativa era alta, pois não conseguimos conferir a primeira edição. Afinal, como deve ser um evento de terror em um parque aquático?

Wet´n Wild e Noites Macabras

Noites Macabras

Chegamos ao parque por volta das 10h30 e as catracas já estavam liberadas. Ponto positivo! O movimento estava bem tranquilo, então fomos reservar o nosso armário grande (R$ 30 + R$ 10 de calção) e nos arrumar para curtir o parque. Apenas a área próxima ao Vortex fica liberada ao público antes do horário de abertura.

Assim que a operação foi iniciada, nos dirigimos ao Bubba Tub e ao Surge. Por mais que não sejam as atrações mais radicais, elas garantem um belo friozinho na barriga. Não havia fila para nenhuma das duas atrações! Logo após, encaramos a Space Bowl em sua versão fechada. Pânico TOTAL!

Levamos um amigo que ainda não conhecia as novas atrações do parque. Era hora de apresentar o R4LLY, uma competição em tapetes aquáticos e o Vortex, o queridinho dos visitantes.

Noites Macabras

Fomos conferir o Water Bomb, que estava fechado em nossa última visita e… que atração sensacional! Radical e na medida certa. Pelas nossas contas, fomos 7 vezes!

Resolvemos ir almoçar no Snack Bar e optamos pelo combo Vortex (lanche com 3 hambúrgueres, batata e refrigerante médios), no valor de R$ 35. Era hora de dar uma descansada e guardar energias para a noite.

Noites Macabras

Falamos da nossa atração preferida do parque? O Crazy Drop! Fomos também cerca de 7 vezes. Ah, sem deixar de dar aquela passada na Ilha do Cascão. As atrações do parque são encerradas às 17 horas e o aquecimento para as Noites Macabras é iniciado no mesmo horário.

Noites Macabras

Fomos nos arrumar, preencher o cupom para participar da promoção “Wet´n Wild te leva para Orlando”, onde você pode conferir mais no site. Compramos alguns doces e fomos assistir a abertura do evento, que começou às 18h10.

Noites Macabras

Noites Macabras

A abertura tem duração de aproximadamente 25 minutos e efeitos especiais na água (tem que assistir ao vídeo para conferir rs). Alguns monstros saem inesperadamente no meio do público causando um certo pânico! Fomos correndo visitar todas as atrações e nos deparamos com algumas criaturas pelas ruas do parque:

Noites Macabras

Diversos bruxos estão espalhados pelas ruas do parque

Noites Macabras

A primeira atração que fomos conferir é o Bosque Assombrado, com entrada ao lado do Crazy Drop. O acesso à atração já é de deixar o clima bem tenso. Corpos pendurados, cabanas abandonadas à beira do lago e uma surpresa no final fazem parte dessa atração.

Noites Macabras

Seguimos para o Túnel do Terror Aquático! Pode ir tranquilo que a atração não molha, nem mesmo respingos. Para nossa sorte, já que a noite o clima esfriou bastante. Deixamos o Labirinto das Bruxas por último, já que após a abertura a sua fila era a maior.

Noites Macabras

São diversas salas com cenografias de arrepiar! São diversos pontos de susto durante o caminho e muita fumaça. Cuidado com os armários e mesas durante o caminho…

Noites Macabras

Após sairmos, fomos conhecer o Stand de fotos. Fotografe com seus amigos e faça montagens bizarras, transformando-se em monstros. A foto pode ir para o seu Facebook ou para o fã page do Wet´n Wild.

Noites Macabras

Conseguimos repetir o Bosque Assombrado e o Labirinto das Bruxas mais uma vez antes do encerramento acontecer.

O Vortex ou O Grande Engolidor de Espíritos, Espaço Místico, Realidade Virtual e Tatuagem são outras atrações que compõem o evento.

Noites Macabras

Confira o vídeo:

Pontos positivos:

  • Grande parte dos funcionários com camiseta personalizada para o evento
  • Lanches temáticos
  • Iluminação do palco
  • Uso de Flyboard no show de abertura
  • Nova atração em área inédita do parque: Bosque Assombrado
  • Ambientação no Lazy River
  • Quantidade de atores
  • Caracterizações
  • Cenografia no Labirinto das Bruxas

Pontos negativos:

  • Abertura com alto tempo de duração
  • Falta de coreografias
  • Atuação exagerada por parte de alguns atores
  • Falta de iluminação especial no parque
  • Encerramento diferente da proposta desse tipo de evento
  • Parte da cenografia do Bosque Assombrado

Tivemos um dia de muita diversão! Ideal para curtir o parque durante o dia e o evento a noite. Recomendamos a experiência!

Para quem quiser ir conferir as Noites Macabras, o evento segue até o final de agosto! Acesse o site do Wet´n Wild para mais informações

Nós fomos! Um dia no Hopi Hari (VAZIO!)

Por | Hopi Hari, Nós fomos!

 

Um dia sem filas e de muita diversão! Assim foi a nossa visita no Hopi Hari.

É isso mesmo que você leu. Nós fomos ao Hopi Hari no domingo (03/04), e o parque estava absolutamente VAZIO! Segundo os astrólogos, este fato só acontece uma vez a cada 7 anos, rs. Chega de brincadeira e vamos contar tudo para vocês.

Fila para revista? Não. Fila para entrar? Também não. Já que está vazio, vamos aproveitar! Seguimos para Wild West, velho oeste, e fomos para o Spleshi em meio a um sol de 35 graus. Sem fila nenhuma, pudemos curtir a atração duas vezes seguidas sem precisar sair do ride.

Hopi Hari vazio

Wild West – Hopi Hari

Hopi Hari TOTALMENTE vazio!

Seguíamos para Aribabiba, a capital de Hopi Hari, e nos espantamos que a Vurang estava sem fila ALGUMA. Mudamos a nossa rota e fomos nos aventurar nela. A atração está com o segundo trem posicionado para a operação, mas apenas um operou no dia. Acredita-se que seja devido à baixa demanda de público no dia.

Hopi Hari vazio

Vurang – Hopi Hari

Ué! Cadê a fila?

Corremos para o Vulaviking e seguimos o coro de “Bota pra subir”!

Hopi Hari vazio

Vulaviking – Hopi Hari

Chegamos em Aribabiba e corremos para o Trukes di Pinguim. Com dois ciclos seguidos, conseguimos ajudar o Batman e Robin a acabar com os malévolos planos do Pinguim. Durante esse final de semana, havia um Food Truck da Flamingo na região para oferecer aos visitantes mais uma opção de alimentação. Seguimos para o Dismonti e logo em seguida para a Bat Hatari, todas as atrações com cerca de 10 à 15 minutos de espera.

Hopi Hari vazio

Bat Hatari localizada na região de Aribabiba

O Forasteiro

Compramos nossa refeição no Hango Monstro e seguimos para o Saloon Show em Wild West. Estávamos morrendo de saudades do show “O Forasteiro”! O show é quase um integrante do parque, se você vai ao parque e não assiste o show é quase a mesma coisa que não ter ido, hein?

O show estava sendo apresentado às 13h15, mas o horário varia de acordo com cada dia. Chegue por volta de 20 minutos antes do show para conseguir pegar um lugar bacana para realizar sua refeição e assistir o show.

Para relaxar após o almoço, fomos visitar a morada do Conde Drácula no West River Hotel. Engana-se quem pensa que a atração não está assustando! O monstro que recepcionava todos os hóspedes estava de arrepiar. Muita gente saia correndo ou desistia da atração. Nós adoramos!

É hora de ir conferir o Simulákron! Ainda não tínhamos percepção que o parque estava tão vazio… até se deparar com esta imagem:

Hopi Hari vazio

Montezum – Fila vazia!

Montezum vazia!

Pode acreditar. É real! A fila durava menos de 10 minutos e tivemos que aproveitá-la por 2 vezes seguidas. Ao voltarmos no final da tarde, tínhamos que esperar visitantes para completar o trem e a atração ser iniciada.

Ao sairmos, a Katapul já estava prestes a iniciar a sua operação. E é claro que já adentramos na fila e aguardamos apenas mais 15 minutos para se divertir muito. Até o encerramento do parque, conseguimos nos aventurar 4 vezes (ISSO MESMO!) em nossa montanha-russa preferida do parque!

Hopi Hari vazio

Katapul

Hero Quiz e Liga da Justiça

Já estava rolando o Hero Quiz, jogo de perguntas e respostas sobre a Liga da Justiça, e os personagens tiravam fotos e interagiam com os visitantes pela área. Fomos conferir a estátua que está localizada no interior do Palácio da Justiça e os carros em exposição. Após o jogo, uma mini balada é localizada na região, onde todos os visitantes são convidados a dançar.

Hopi Hari vazio

Personagens – Liga da Justiça

Hopi Hari vazioHopi Hari vazioHopi Hari vazio

Com tanto calor, é hora de nos refrescarmos no Rio Bravo. A atração está com tudo! Muito mais radical, e com todos os jatos d’água operando. Mais que aprovamos, recomendamos.

É hora de repetirmos o que mais gostamos e dar um até logo para o país mais divertido do mundo!

Hopi Hari vazio

Pôr do sol em Infantasia

Acesse o site e agende sua visita.

 

Responsive WordPress Theme Freetheme wordpress magazine responsive freetheme wordpress news responsive freeWORDPRESS PLUGIN PREMIUM FREE Download theme freeDownload html5 theme free - HTML templates Free Null24Top wordpress themes free download